Associação Mato-grossense
das Defensoras
e Defensores Públicos

Acompanhe nossas mídias sociais

Aumento de frota do transporte coletivo atende pedido da Defensoria feito há 2 meses

Avatar de Dalila Rodrigues Por: Dalila Rodrigues

Publicado em 27/06/2020


Aumento de frota do transporte coletivo atende pedido da Defensoria feito há 2 meses

Dois meses após a Defensoria Pública de Mato Grosso pedir na Justiça de Cuiabá o aumento no número da frota do transporte coletivo da Capital, o juiz José Leite Lindote - da Vara Especializada da Saúde Pública de Mato Grosso - determinou o retorno de 100% dos ônibus às ruas da região metropolitana evitando, assim, aglomerações durante as viagens.


Além de aumentar a frota, o magistrado decidiu que os ônibus só podem rodar com passageiros sentados, não se admitindo a redução em qualquer hipótese, evitando, assim, aglomerações durante as viagens.


À época, o pedido para que 70% do transporte coletivo fosse disponibilizado aos cuiabanos foi negado pelo juiz Bruno D'Oliveira Marques, da Vara Especializada em Ação Civil Pública e Ação Popular.


O objetivo da Defensoria Pública por meio do Núcleo de Defesa do Consumidor (Nudecon), naquele período, era evitar justamente o aumento de casos da covid-19 na região metropolitana e, consequentemente, o crescimento no número de mortes.


Apesar da demora em determinar o retorno total do transporte coletivo, o Judiciário agora vê que essas medidas precisam ser implementadas com urgência em face do risco coletivo à saúde. A medida consta na decisão que determinou quarentena coletiva obrigatória de 15 dias em Cuiabá e Várzea Grande.


“Desde o início da pandemia, a Defensoria Pública tem lutado para proteger quem mais precisa, ou seja, os mais vulneráveis. Naquele período víamos a necessidade do aumento da frota do transporte coletivo e pedimos, apenas, que colocassem 70% dos carros nas ruas. Seria o suficiente porque o comércio estava fechado. Porém, o comércio reabriu e a frota ficou apenas nos 70%, sendo impossível não ocorrer aglomerações e a maior circulação do vírus”, lembrou o presidente do Nudecon, João Paulo Carvalho Dias.


Por outro lado, à época, o magistrado determinou que a Prefeitura de Cuiabá e as empresas de transporte coletivo garantissem a gratuidade da passagem para os trabalhadores acima de 60 anos da área da saúde ou que exerçam atividades consideradas essenciais.


Até o fim da tarde de sexta-feira (26), a Secretaria de Estado de Saúde (SES) havia notificado 13.406 casos confirmados da covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 504 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.


As 31 mortes mais recentes envolveram residentes de Pontes e Lacerda, Vila Bela da Santíssima Trindade, Várzea Grande, Cuiabá, Rondonópolis, Jaciara, João Ramalho (SP), Canarana, Santa Carmem, Curvelândia e Porto Estrela.


Compartilhe este texto

Fale Conosco

Onde estamos

Rua Carrara, nº 10 - Bairro Jardim Itália | Cuiabá - MT

(65) 3052-7337

contato@amdep.org.br